Diz a máxima que o insumo básico do jornalismo é a informação. Mas só se chega até ela, em seu estado mais puro, por meio da mais fundamental ferramenta de um jornalista: a pergunta.
Colocar o mundo em dúvida é a missão diária – e muitas vezes ingrata – de um jornalista, para além de informar. O bom repórter não apenas relata o que presencia ao seu redor, entre acontecimentos e personagens, mas problematiza e provoca o debate. “Por que o sr. prefeito prometeu isso, mas só entregou aquilo?” “Sinto muito, mas esse autor que o sr. cita, na realidade, nunca escreveu isso.” “Pai, já falei que nem tudo o que se lê no WhatsApp é verdadeiro.”
Por isso merecem meus aplausos a mais nova iniciativa deste Periódico: a série Foca nos Fatos.
Na esteira da explosão das iniciativas de fact-checking, o Foca nos Fatos faz um saudável exercício de questionamento e pensamento crítico. Em tempos onde a informação não é monopólio dos jornais (com a dor e a delícia que isso representa), e qualquer cidadão é um potencial produtor de conteúdo, a checagem profissional de informações ganha relevância – em especial daqueles que ocupam cargos eletivos ou funções públicas, às vésperas de mais um ano eleitoral.
O primeiro Foca nos Fatos, sobre o saneamento básico em Ponta Grossa, tem o mérito de ir além da pesquisa que informa que a cidade é a sétima do país em cobertura. Detalha a metodologia do levantamento, vai atrás de novos dados e, de quebra, faz uma crítica de mídia, listando os jornais que reproduziram a informação sem contextualizá-la.
É uma iniciativa bem-vinda, mas o mesmo espírito pode (e deve!) ser incorporado em outras reportagens do portal.
Por que não questionar, por exemplo, na reportagem sobre o aeroporto de Ponta Grossa, se a nova estação de tráfego aéreo de fato reduziu o número de voos alternados? Por que não confrontar, de forma mais incisiva, a secretaria da Educação sobre a presença de imagens religiosas nas escolas públicas, sendo que as diretrizes curriculares do Estado estabelecem que as discussões sobre o sagrado sejam feitas numa perspectiva laica? Que tal destacar, entre os temas debatidos no congresso de administração, aqueles com enfoques inovadores ou controversos?
O exercício cotidiano da dúvida, esse sim, é o verdadeiro insumo do jornalismo.