Foto: Gabriel Clarindo Neto

Desde a reativação em 2016, Aeroporto Sant’Ana opera com apenas uma empresa aérea

O Aeroporto Municipal Comandante Amilton Beraldo, popularmente conhecido como Aeroporto Sant’Ana (PGZ), opera com apenas uma companhia aérea em Ponta Grossa desde 30 de junho de 2016, reinauguração do local para transporte comercial de passageiros. Com a infraestrutura limitada, o aeródromo está qualificado para funcionar somente com aeronaves do modelo ATR 72-600.

De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Henrique Carbonar, não é preciso abrir concorrência para empresas exercerem operações aeroportuárias. “Qualquer companhia aérea pode operar, o que restringe é a capacidade do aeroporto, que hoje é exclusivamente para esse tipo de aeronave". De fabricação franco-italiana, o modelo ATR 72-600 tem capacidade para 70 passageiros e suporta o peso máximo de 22,800 kg. Com duas turbinas, possui 27,17 metros de comprimento por 27,05 de envergadura, conforme informações disponíveis no site da companhia fabricante.

Segundo Carbonare, o município está à espera da liberação de recursos do Governo Federal para expandir e modernizar a infraestrutura do local. “Aguardamos da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR) um investimento de R$ 40 milhões, para alterar a categoria do aeroporto de 2C para 3C”. Na categoria 3C é possível o tráfego de veículos com 80% da capacidade da aeronave A380, maior avião comercial do mundo.

Conforme o Regulamento Brasileiro da Aviação Civil, as categorias dos aeroportos estão divididos em grupos. O Grupo 1 compreende aeroportos internacionais, com voos regulares e comerciais em serviços gerais de transporte aéreo de passageiros ou cargas. O segundo grupo inclui aeroportos domésticos e internacionais, que operem voos com 60 assentos ou mais e peso de decolagem de mais de 45,5 toneladas. Já o Grupo 3 comporta aeroportos e aeródromos abertos ao uso público e considerados estratégicos. De acordo com Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o Brasil possui mais de 600 aeroportos na categoria 3.

Para o superintendente do Aeroporto Sant’Ana, Jorge Eduardo Barcellos, a proximidade com o Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB), localizado em São José dos Pinhais, a rota entre Ponta Grossa e Curitiba fica estrangulada. De acordo com Barcellos, Ponta Grossa não pode ficar desprovida de transporte aéreo. “O aeroporto em Ponta Grossa não é uma alternativa, é uma necessidade para o desenvolvimento do município, um dos maiores distritos empresariais do Paraná”. Conforme números divulgados pela Secretaria Municipal de Gestão Financeira, Ponta Grossa é a 4ª cidade mais populosa e a 5ª maior economia do Paraná, com maior Produto Interno Bruto (PIB) industrial entre as cidades do interior.

Com a recente instalação da Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicação e de Tráfego Aéreo (EPTA) no Aeroporto Sant’Ana, o índice de voos alternados deve diminuir. Os voos alternados acontecem quando existe impossibilidade de pouso das aeronaves devido a má condição do tempo ou dificuldade de visão da pista. Diante de tal ocorrência, o piloto do avião opta por outro aeroporto próximo para aterrissagem. No mês de agosto, o índice de voos alternados em Ponta Grossa totalizou 9%, afirma Carbonar.

Horário atual de funcionamento do Aeroporto San’Ana*:
Voos de partida:
Domingo: 10h45min
Segunda a sexta: 14h45min

Voos de chegada:
Domingo: 10h20min
Segunda a Sexta: 15h20min

* Sábados:
Não há voos comerciais da empresa aérea Azul. Decolam somente voos particulares e do aeroclube do município.