Dança Circular acredita na aceitação das diferenças e busca criar a consciência de paz e cooperação entre as pessoas

Um ritmo que busca a união entre as pessoas através da linguagem simbólica chegou no Brasil em 1984 e conquista cada vez mais espaço no país. A Dança Circular, conhecida também como Dança dos Povos, foi desenvolvida pelo alemão/polonês Bernhard Wosien e consiste, basicamente, em uma ação onde os participantes aprendem determinados passos que são executados em conjunto, na roda, por vezes de mãos dadas.

Foto: Divulgação

O Street Dance, em português, Dança de Rua, é um ritmo que se desenvolveu e se popularizou a partir dos anos 1970 nas ruas das grandes cidades norte-americanas. O estilo recebeu influências da chamada “cultura de rua”, englobando elementos como o grafite. O Street Dance pode ser considerado um tanto eclético quanto aos gêneros musicais utilizados, por exemplo, Rap e Hip Hop. O estilo também recebeu influências do funk e de outros gêneros mais contemporâneos.

Foto: Matheus Pileggi

Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, dois para lá, dois para cá, um giro e volta no lugar. Assim são os passos da dança de salão. De origem europeia, a dança é considerada uma expressão entre duas pessoas. Quando a dança de salão chegou nos países colonizados surgiram variações como a gafieira, salsa, samba de gafieira, tango, bolero, maxixe e outros.