Foto: Matheus Pileggi

Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, dois para lá, dois para cá, um giro e volta no lugar. Assim são os passos da dança de salão. De origem europeia, a dança é considerada uma expressão entre duas pessoas. Quando a dança de salão chegou nos países colonizados surgiram variações como a gafieira, salsa, samba de gafieira, tango, bolero, maxixe e outros.

Quem decide o modo de dançar no salão de 15 metros por oito do Clube 13 de maio em Ponta Grossa são os fiéis frequentadores de idade avançada. A banda em cima do palco tem a função de resgatar diferentes clássicos como “esse cara sou eu”, “chalana meu amor” e “o vento foi, o vento vem”. Os passos podem ser livres, mas o charme é critério número um para a dança de salão. Alguns casais aceleram os passos para exibir habilidades, outros mais calmos e abraçados se deixam levar, conforme o giro anti-horário e a posição das mãos variam conforme a escolha do casal.

Alguns lugares do salão são característicos. As mesas ficam vazias com aqueles que preferem observar o baile, no balcão do bar os olhares intensos buscam um par, em frente ao palco os amigos da banda são anunciados e lá fora descansam aqueles que fumam.

A dança de salão é, além de lazer, é uma maneira de socialização. É uma atividade física indicada para qualquer idade, pois dançar garante movimentos aeróbicos que beneficiam o coração, a respiração e a flexibilidade.

Serviço: Outros clubes ofertam espaços de dança de salão. O 13 de maio localiza na Rua General Carneiro, 1069 – Centro de Ponta Grossa. Atualmente não tem uma agenda fixa e costuma abrir entre 15 e 21hrs. Conforme a banda o preço da entrada pode variar de três a dez reais.