Simone e Simaria realizarão show de abertura da festa tradicional do Chope Escuro em Ponta Grossa

 

Foto: Divulgação

 

Após as reclamações do público com relação ao dia de abertura da München Fest de 2017, que seria em uma terça-feira, a organização do evento decidiu atender a população e transferiu a data de lançamento e do desfile dos blocos para sábado, 02 de dezembro. No mesmo dia, uma das duplas sertanejas mais ouvidas do momento fazem o show de abertura, Simone e Simaria, as “coleguinhas”, como são conhecidas. A decisão foi divulgada no dia 26 de outubro.

Foto: Divulgação

Você já imaginou quanto custam os shows dos artistas que vem se apresentar na 28º München Fest? Cada cantor, cantora e dupla musical possui um cachê mínimo pré-estabelecido pelos seus agentes para realizarem os shows. Para essa edição da Festa Nacional do Chopp Escuro, os cantores sertanejos são os que possuem o cachê mais caro, a dupla ‘Henrique e Juliano’ possuem o cachê mais caro, R$ 200 mil, seguidos de Thaeme e
Thiago que cobram R$ 170 mil por show.

Foto: Guilherme Dezevecki


Com shows em casas noturnas e eventos privativos, a arte drag queen busca visibilidade na cidade

Nos últimos meses, festas com apresentações de drag queens conquistaram o cenário musical alternativo em Ponta Grossa. A frente das pick ups de dj ou em dublagens de danças e músicas, as drag queens são presenças confirmadas nas festas fora do circuito sertanejo universitário da cidade. Só no evento realizado em 24 de setembro na Cavan77, organizado pelo coletivo musical Gataria, foram sete atrações diferentes.

O termo drag queen surgiu como gíria por volta de 1870, tanto na comunidade gay quanto no teatro, para definir artistas homens performáticos que se vestiam com roupas femininas para apresentação. A expressão ganhou notoriedade e se popularizou entre as novas gerações com o reality show estadunidense RuPaul's Drag Race, produzido desde 2009 pela drag queen e modelo Ru Paul.

Em Ponta Grossa, as apresentações musicais das drags não se limitam às baladas. Só em 2017, eventos musicais com a presença de ‘queens’ aconteceram na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PG), na Universidade Estadual de Ponta Grossa e na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, além de eventos privados, como festas de aniversário e chá de bebê.

Enquanto no circuito musical alternativo a arte drag está em ascensão, do outro lado da cidade a falta de conhecimento ainda persiste. No dia 30 de setembro, em seu perfil na internet, um dos organizadores da 28ª Münchem Fest compartilhou uma imagem do cantor Pabllo Vittar, com a possibilidade de um show na cidade. Brasileiro de 22 anos, Pabllo Vittar é atualmente a drag queen com mais seguidores nas redes sociais e visualizações musicais no mundo, superando os números de Ru Paul.

Dentre os comentários na foto compartilhada, muitos foram positivos e pediram a presença da drag queen, mas a grande maioria estava carregada de discursos de “eu não sou homofóbico, mas…” ou “não tenho nada contra gay, mas…”, buscando justificar os motivos para Pabllo Vittar não fazer show em Ponta Grossa. Outros comentários contrários ainda diziam que o estilo musical da drag não condiz com a Münchem Fest e questionavam a qualidade vocal do cantor. Caso esses argumentos valessem para todos os artistas que se apresentaram nos últimos anos da ‘festa do chopp escuro’, muitos cantores de sertanejo universitário e de qualidade sonora duvidosa não teriam mais espaço no evento.

Serviço: No dia 08 de outubro, domingo, no Garden Bar e Pesticatia, acontece a festa à fantasia Bad Reputation com apresentações de drag queens.

 

 

CORO
Foto: Luana Caroline Nascimento/ Coro Cidade de Ponta Grossa


Música e interpretação compõem as montagens do grupo

O Coro Cidade de Ponta Grossa, mantido pela Fundação Municipal de Cultura, realiza Espetáculos, Cantatas, Concertos, entre outras apresentações na cidade de Ponta Grossa desde 2008. O grupo apresenta-se com diferentes números de cantores a cada espetáculo e reúne diferentes tipos de voz como sopranos, tenores, contraltos e baixos.
As apresentações do Coro são diversas e divididas, por vezes, em temporadas, como exemplo as Cantatas de Natal de 2015, realizadas cinco vezes durante o mês de dezembro, o Espetáculo Mulheres: a rosa da rosa, o qual tratou do espaço da mulher através de músicas no ano de 2016, e as quatro apresentações do concerto Conversa de Botequim, onde o samba brasileiro foi retratado e encenado nas quatro vezes apresentadas em um cenário de botequim.
O coral costuma exibir músicas brasileiras e remontar produções e características culturais brasileiras, como costumes, do Brasil através da interpretação das músicas e dos movimentos cênicos que, por vezes, acompanham os espetáculos. Além disso, as exibições dos concertos acontecem em lugares distintos, não se limitando a um único palco/local de apresentação. Isso fica evidente na linha do tempo de aparições do Coro que traz, entre suas apresentações, a participação no Festival Universitário da Canção, e a Noite Cultural VIII Semana do Secretariado Regente Feijó, em 2012.
Para integrar o Coro Cidade de Ponta Grossa, é necessário prestar concurso e ser aprovado nos testes. Os cantores integrantes recebem remuneração através de uma bolsa de estudos, o que pode incentivar o estudo da música e despertar o interesse pela cultura musical da cidade nos músicos não só de Ponta Grossa.

Serviço: O Coro Cidade de Ponta Grossa apresenta o concerto No Rancho Fundo, no Cine Teatro Ópera, sábado, dia 23, às 20h e domingo, 24, às 18h. A entrada é gratuita e serão aceitas doações espontâneas para o Natal Sem Fome (SOS).

 

Foto: Luana Caroline Nascimento

 

Com a Oitava Sinfonia de Dvorák, Orquestra lotou o Cine-Teatro Ópera

A Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa (OSPG) abriu, no fim de agosto, as apresentações da temporada 2017. A obra escolhida para iniciar a temporada foi a Oitava Sinfonia de Dvorák.

Com auditório A do Cine-Teatro Ópera lotado, o grupo apresentou a música composta pelo tcheco Antonin Dvorák, além de outras obras. Fundada em 1954, a Orquestra é mantida pela Prefeitura através da Fundação Municipal de Cultura e está, atualmente, com 48 músicos.