Foto: Divulgação <"text-align: center;">Hábito faz parte da rotina de povos sul-americanos desde o século XV

Cuia, bomba, erva-mate moída e água quente. O chimarrão, também conhecido apenas como &quot;mate&quot;, é uma bebida característica da cultura do sul da América Latina, de países como Uruguai, Paraguai, Chile, Argentina e, claro, o Brasil. O que muitos não sabem é que a cultura do chimarrão, que hoje é adotada, no Brasil, principalmente pela cultura gaúcha, catarinense e paranaense, é oriunda das tribos indígenas caingangue, guarani, aimará e quíchua. Os primeiros registros da cultura datam do século XIV.

O chimarrão chegou a ser proibido no sul do Brasil durante o século XVI, sendo considerado &quot;erva do diabo&quot; pelos padres jesuítas das reduções do Guairá. A partir do século XVII, no entanto, os mesmos religiosos mudaram a posição para com a bebida e passaram a incentivar o uso com o objetivo de afastar a população local do consumo de bebidas alcoólicas.

Devido a popularidade da bebida, a extração da erva-mate (ilex paraguariensis) virou a atividade econômica mais importante da Província Del Guayrá, território que abrangia praticamente o Paraná, durante a metade do século XVI.

Hoje, o chimarrão faz parte da rotina de milhões pessoas. É um hábito social, utilizado também como meio de aproximar as pessoas. Grupos costumam se reunir para tomar a bebida e conversar sobre a vida. Condomínios, inclusive, têm criado espaços exclusivos para os moradores tomarem chimarrão, como o Vittace, em Ponta Grossa.

Além da questão social, o chimarrão traz benefícios para a saúde. A bebida elimina a fadiga e o cansaço, ajuda na digestão, é diurético, é fonte de vitaminas e sais minerais, é fonte de antioxidantes, auxilia na regeneração celular, estimula a atividade física, diminui o colesterol ruim, ajuda no emagrecimento e é benéfico para o coração.

Apesar de todos os benefícios da erva-mate, pessoas com anemia podem ter seu problema agravado pois o chimarrão pode diminuir a absorção de ferro. A erva-mate também aumenta a pressão, devendo ser evitada por hipertensos.

PREÇO:

Cuia: a partir de R$ 10

Bomba: a partir de R$ 6

Erva-mate: a partir de R$ 10