ACADEMIA
Foto: Divulgação

O reconhecimento de autores e produções na cidade pode servir de incentivo para novas publicações


Dia 23 de junho de 2017 seria o aniversário de 88 anos do escritor pontagrossense, Eno Teodoro Wanke, que se destacou na trova popular e literária nacionalmente. Depois de seu falecimento em 2001, deixa como legado para a cidade várias obras publicadas como, o Dicionário lusitano-brasileiro. Além disso, é responsável pela criação da cadeira número 25 na Academia de Letras dos Campos Gerais (ALCG).

O cenário de produção literária em Ponta Grossa marca presença pela diversidade de autores, obras e gêneros que são produzidos na região dos campos gerais, mas mesmo assim parte da população acaba não sabendo desta existência. A importância de uma academia de letras para a cidade se dá a partir da necessidade de sair do circuito dos best-sellers e se iniciar a valorização da literatura local, dando a oportunidade para autores regionais mostrarem o trabalho, que muitas vezes falam sobre o município.

Em uma cidade em que os editais e concursos públicos para a cultura muitas vezes não são pagos (pelo órgão responsável que é a Prefeitura Municipal) ou que demoram meses até os autores receberem o reconhecimento, é bem vindo ter instituições que dão visão e incentivo para autores do Paraná. Com relação ainda ao incentivo, é possível encontrar um acervo com mais de 2000 exemplares dos livros da região, entre eles poesias, crônicas, romances, crônicas, entre outros estilos.

A Academia de Letras promove reuniões abertas à comunidade que são feitas uma vez ao mês, na sede da instituição e também apoia lançamentos de livros, o mais recente é o Haicai Devoniano - poética atemporal.