Como é característico de Luis Fernando Veríssimo, no livro Diálogos Impossíveis o autor explora o humor refletido nos momentos do cotidiano, tratando o corriqueiro com simplicidade e harmonia. Vencedor do Prêmio Jabuti de 2013 (categoria Livro do Ano de Ficção), a coletânea de contos  reúne as crônicas publicadas nos jornais Zero Hora e O Estado de São Paulo no período entre 2009 e 2011.

O autor escreve com criatividade e humor. Apesar da fácil leitura, os contos causam uma certa inquietação no leitor, convidando-o a refletir sobre cada diálogo presente no livro. Isso ocorre principalmente porque o autor sugere que as situações mais curiosas e inimagináveis podem acontecer eventualmente.

São 45 crônicas bem escritas e de textos pequenos, o que torna o livro uma boa opção para quem deseja uma leitura leve, descontraída e rápida. A proposta principal do livro é a reunião de diálogos criativos, muitos deles envolvem personagens peculiares ou pessoas famosas em conversas improváveis. Um exemplo disso seria a discussão entre Batman e Drácula sobre o desejo de viver para sempre e o desejo de morrer, ou a briga entre Einstein e a esposa.

A narrativa da obra é toda em terceira pessoa, tornando o autor um mero observador dos fatos e sugerindo uma ideia de conversa jogada fora. Os textos não apresentam nenhum desfecho evidente, o que possibilita ao leitor imaginar vários fins para as histórias. A capa do livro se aproxima da imagem de um telefone sem fio, ou até mesmo de um caos, lembrando a confusão gerada através dos fatos distorcidos, algo muito comum na comunicação do dia-a-dia. O livro é uma opção de literatura brasileira e possuí versão impressa e gravada, que pode ser encontrada na biblioteca municipal.