Cinema

Foto: Divulgação

Último filme ‘solo’ do herói terá continuação em Vingadores 3

Thor Ragnarok, produção da Marvel, dirigido por Taika Waititi e lançado no Brasil em 26 de outubro de 2017, é um encerramento dos filmes anteriores do herói, lançados em 2011 e 2013.

Com recursos visuais que remetem a épocas e civilizações alienígenas, o filme relata a busca de Thor pelo resgate de seu povo em Asgard, reino o qual foi dominado por Hela, a vilã da trama. Com sacadas de humor em momentos estratégicos, Thor Ragnarok resgata personagens já conhecidos pelo espectador e mistura grandeza, ação e poder de heróis e deuses no velho e conhecido enredo de filmes deste estilo, a busca pela salvação da humanidade.

Nos 130 minutos totais da trama, é possível notar o uso de cores e efeitos especiais utilizados nas cenas de batalhas e disputas, mas que não soam artificiais nem tampouco deixam de convencer através de uso da emoção para provar que suas cenas são possíveis. Para isso, um elemento que ajuda é a sonoplastia e a trilha sonora da obra, a qual utiliza um clássico do rock americano, assim como já visto em Homem de Ferro, mas desta vez com a banda Led Zeppelin.

No Brasil, houve algumas críticas de sites que acompanham as produções da Marvel e de outras produtoras, assim como dos próprios fãs, de que o diretor havia extrapolado na dose de humor empregada nas cenas, principalmente associada ao herói principal já que, nos quadrinhos, Thor detinha uma personalidade mais séria, fechada.

De qualquer forma, o filme Thor Ragnarok estreou no Brasil com 1,5 milhão de espectadores e, segundo sites internacionais e nacionais, superará a bilheteria de outros filmes da Marvel lançados este ano, ultrapassando, até mesmo, a arrecadação dos filmes passados do Deus do Trovão.

Serviço: O filme Thor Ragnarok está disponível nos cinemas de Ponta Grossa desde o dia 26 de novembro, na opção dublado, legendado e 3D. O filme tem duração de 130 minutos e entre os atores e atrizes principais do elenco estão além de Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Idris Helba, Jeff Goldblum, Cate Blanchett e Tessa Thompson.

Foto: Rafael Santos

O Projeto de Lei 527/2016 que reduz em 68% a área de proteção ambiental (APA) da Escarpa Devoniana é tema do documentário “Os últimos Campos Gerais”. Com imagens áreas da Escarpa Devoniana, o documentário de aproximadamente 15 minutos traz em uma narrativa tensa o futuro da APA com a aprovação do projeto. Narrado pelo ator curitibano Luis Melo, a produção inicia com tom sombrio e traz ao longo da narrativa um posicionamento claro quanto aos motivos da redução da área de proteção.

Jennifer Lawrence Mother Banner
Foto: Divulgação

Longa-metragem escrito por Darren Aronofsky estreou nos cinemas brasileiros no dia 21 de setembro

Confuso e cheio de simbolismos, o filme Mother veio para deixar o espectador reflexivo e irritado durante e após o filme, com metáforas ao longo da trama. O fato é que o longa-metragem de duas horas embaralha a cabeça do público, que não consegue entender o filme se interpretá-lo ao pé da letra, já que todas as partes contém alegorias bíblicas, que só podem ser entendidas, de fato, no fim do filme, ou se já houver um conhecimento prévio do objetivo do autor.

Mother sintetiza uma nova representação da bíblia desde o livro de Gênesis - com a criação do mundo - até o de Apocalipse – que retrata o fim de tudo. Assim, o personagem interpretado por Javier Bardem é uma caracterização do ‘Criador’, representado como um poeta, aquele que dá vida às histórias. A personagem principal, interpretada por Jeniffer Lawence, é a analogia de ‘Casa’, de ‘Terra’, do lugar onde vivemos. Através do cenário, o diretor também explora outro tema do filme: a relação dos seres humanos com o meio ambiente.

Ao trazer reflexões sobre a degradação da natureza, fanatismo e relações abusivas, por conter várias referências e subjetividades, o filme exige uma grande dose de interpretação da plateia em cada cena que é narrada.

Na parte técnica, o filme também pode desagradar o público, já que as filmagens são feitas em perspectiva POV, seguindo o ponto de vista da protagonista, o que causa um pouco de desconforto com relação à imagem, já que a câmera fica em movimento em quase todos os momentos. A exceção são as cenas em que o enquadramento fica mais fechado no rosto de Jeniffer Lawrence, dando um ar de suspense para a cena, apesar de não ter nenhuma música de fundo durante todo o filme. As imagens do longa-metragem também são mais apagadas, voltadas para tons mais escuros, representando o teor de drama psicológico que o filme carrega.

O diretor e autor da trama, Darren Aronofsky, também é ambientalista e autor dos filmes Noé, de cunho religioso; e de Cisne Negro, que contém referências simbólicas e drama psicológico.
Serviço: O filme está em cartaz no cinema do Shopping Palladium, nos horários: 17h, 19h15 e 21h30.

black mirror season 3 poster
Foto: Divulgação

O episódio da terceira temporada da série Black Mirror, “San Junipero”, conquistou o prêmio de “Melhor Roteiro em Minissérie” na cerimônia do Emmy neste domingo (17). A série recebeu também o prêmio de “Melhor Filme Feito para Televisão”. A quarta temporada da série Black Mirror tem previsão de ser lançada ainda no ano de 2017. Boatos circularam na internet que o episódio “San Junipero” teria continuação na quarta temporada, ou até se transformaria em filme.
O criador da série, Charlie Brooker, disse em entrevista ao The Hollywood Reporter que uma sequência do episódio estaria em seus planos. Brooker escreveu também para programas como Brass Eye, The 11 O'Clock Show e Nathan Barley.
Os três primeiros episódios da série foram exibidos na emissora Channel 4 no Reino Unido, em 2001. No ano de 2015, a Netflix encomendou 12 episódios da série, que foram divididos em duas temporadas, lançadas em outubro de 2016. Desde então a série tem recebido críticas positivas de todos os lugares do mundo, e aumentou sua audiência desde sua entrada no Netflix.
Alguns episódios de Black Mirror se destacam pela trama e sucesso entre o público, como é o exemplo de “San Junipero”. O episódio conta a história de amor entre duas mulheres, em uma simulação de realidade virtual dos anos 1980, no espaço tempo totalmente diferente da realidade.
A série britânica Black Mirror é uma das mais assistidas no Netflix e tem conquistado fãs por todo o mundo. Os episódios, que são trabalhos autônomos, tratam de ficção cientifica e a sociedade moderna e nova tecnologia no futuro, e mostram em cada episódio um elenco diferente com cenários diferentes, mas todos mostram como histórias de como a tecnologia interfere no cotidiano das pessoas.

IMG 8903
Foto: Divulgação

Curta metragem resgata os principais cinemas de PG

Intitulado "Cinemas da cidade", o curta metragem traz a combinação de trilha sonora do famoso filme de Charlie Chaplin com imagens de Ponta Grossa a fim de contar relembrar cinco cinemas locais. A produção ganhou o prêmio de 1º lugar no edital do Concurso Municipal de Curtas-Metragens do Patrimônio. O vídeo foi produzido por Luciano Bragatto, Bruna Campos, Dani Érica, Aline Gemieski, Anielly Premebides, Diony Rodrigues, Virgínia Lauer e Marcos Antonio de Medeiros.